O FUTURO DO MUSEU NACIONAL DE ARQUEOLOGIA EXIGE PONDERAÇÃO E RESPEITO


Com a publicação da saudação do Dr. Luís Raposo aos Amigos do MNA, do artigo do jornal Publico e da notícia da Antena 1, todos abaixo transcritos, chega ao fim a missão deste blogue independente,
feito por alguns amigos do MNA.

A luta travada nos últimos anos em defesa do MNA, impedindo a sua transferência para a Fábrica da Cordoaria Nacional, foi coroada de êxito.

Ao Dr. Luís Raposo desejamos as maiores venturas na continuação da sua carreira profissional.

Se um dia o MNA voltar a estar em perigo, regressaremos,

porque por agora apenas hibernamos.



terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Direção do GAMNA toma primeira posição e anuncia acções próximas

Prezados Amigos,

Em face das notícias chocantes aparecidas nos jornais, referindo a não continuidade do Dr. Luís Raposo no lugar de Director do nosso Museu, a direcção do GAMNA reuniu na 2ª Feira, dia 16 de Janeiro, para se inteirar da situação e decidir sobre medidas e formas de acção a empreender.
Depois de confirmado o essencial das notícias vindas a lume e após análise ponderada, entendemos dar imediato seguimento a um conjunto de iniciativas com o objectivo de protestar contra uma situação que nos causa a mais profundo incómodo.
Não está em causa apenas o caso concreto e o nosso Museu. Estão em causa valores ainda mais profundos e que se resumem em saber que futuro queremos para os museus nacionais? Que futuro para as instituições em que se guarda a memória histórica da nação?
Tendo presente este enquadramento, informamos que iremos divulgar dentro de dias uma Carta-Aberta ao conjunto da comunidade nacional, a qual faremos divulgar amplamente.
Iremos também promover um fórum de encontro e recolha de reflexões e comentários sobre toda esta temática.
A seu tempo, iremos ainda promover uma Assembleia-Geral do GAMNA, assim como editar um livro que fique como memória e instrumento de denúncia de tudo o que tem sucedido ao nosso Museu, nos últimos anos.
Esperamos nesta nossa luta contar com a participação de todas as associações, nomeadamente Amigos de Museus, e pessoas individuais que se nos queiram associar.
Apoiaremos incondicionalmente o Dr. Luís Raposo nas acções que entenda necessárias para contestar administrativa ou judicialmente o despacho que o não reconduz da direcção do nosso Museu e ainda instaremos a que se candidate a qualquer concurso que hipoteticamente venha a ser aberto, embora respeitemos as suas opções, quaisquer que sejam.
O que está em causa é sintoma de algo muito mais vasto e inquietante. O que aconteceu ao Dr. Luís Raposo aconteceu a todos nós e leva-nos a questionar a transparência de processos de decisão do Estado e a ética dos seus agentes.
A todos pedimos que se mantenham atentos e intervenham pelas formas que considerem mais adequadas. Na crise por que passamos não nos podemos demitir da responsabilidade de saber gerir, proteger e salvaguardar o nosso património.

A Direcção do GAMNA, em 16 de Janeiro de 2012

Sem comentários:

Enviar um comentário