O FUTURO DO MUSEU NACIONAL DE ARQUEOLOGIA EXIGE PONDERAÇÃO E RESPEITO


Com a publicação da saudação do Dr. Luís Raposo aos Amigos do MNA, do artigo do jornal Publico e da notícia da Antena 1, todos abaixo transcritos, chega ao fim a missão deste blogue independente,
feito por alguns amigos do MNA.

A luta travada nos últimos anos em defesa do MNA, impedindo a sua transferência para a Fábrica da Cordoaria Nacional, foi coroada de êxito.

Ao Dr. Luís Raposo desejamos as maiores venturas na continuação da sua carreira profissional.

Se um dia o MNA voltar a estar em perigo, regressaremos,

porque por agora apenas hibernamos.



quarta-feira, 31 de março de 2010

Em defesa do MNA... alguns comentários (1)

Congratulo-me pela rápida iniciativa que, tenho esperança, ainda vá a tempo de ajudar a Ministra da Cultura a decidir-se. Reinstalar um Museu, com a história do MNA, é uma tarefa aliciante mas da maior responsabilidade. Os dados disponíveis apontam claramente para este facto: não há nenhuma certeza que a Cordoaria seja o bom destino!!! Para quê então enunciar o que não pode ser senão uma possibilidade como um facto indiscutível? Ficará na história a ministra se, durante o seu mandato, se realizarem os estudos necessários na Cordoaria.
Raquel Henriques da Silva

Primeiro, ouvia-se «À abordagem!» e era apenas a Torre Oca. Mas agora é bem mais grave Para além do resto, é a paralisação da investigação científica no MNA por tempo indeterminado. Simplesmente inaceitável.
Victor S. Gonçalves

A política do quero, posso e mando é inadmissível num regime que se pretende Democrático e Republicano ! A situação económica, política e moral do país não aguenta mais decisões caprichosas, contrárias à opinião unânime dos melhores especialistas em matéria de museologia e conservação do património ! o orçamento para a Cultura é demasiado escasso para poder ser desbaratado em projectos que têm por único objectivo deixar a "pegada" política de cada ministro ou secretário de Estado !
José Morais Arnaud

Em defesa das colecções do Museu Nacional de Arqueologia
Madalena Braz Teixeira

O MNA é a instituição de referência da arqueologia portuguesa há mais de cem anos. Como profissional e cidadã exijo aos nossos governantes que tratem o MNA com o respeito e dignidade que merece.
Maria José de Almeida

Trata-se da defesa de uma causa pública a qual, nos últimos tempos, parece ter sido varrida da prática de alguns governantes. A ânsia de mudar as instituições a qualquer preço, seja a sua orgânica, seja o seu espaço, requer uma planificação consistente e atempada. Qualquer atitude precipitada e que despreze opiniões técnicas consistentes, poderá conduzir a erros irreversíveis, que entrarão para a História associados aos respectivos responsáveis
Teresa Marques

Haja bom senso.
Francisco Sande Lemos

Vamos lutar pela dignificação do Património Arqueológico Nacional, salvaguardando a identidade do Nosso Património antes da ocasião de qualquer catástrofe Natural, respeitarmos e melhoramos o legado cultural do "criador" da investigação patrimonial portuguesa.
José Inácio Militão da Silva

O MNA é uma instituição de referência nacional e internacional. O apoio e disponibilidade na resolução das questões colocadas por outras colecções dispersas no território nacional fazem dele uma verdadeira instituição de serviço nacional, não é razoável por em causa um trabalho de anos para cumprir calendário. Uma iniciativa desta envergadura exige reflexão, programação e uma execução cautelosa e criteriosa.
Maria de Jesus Monge

Só a força das associações cívicas poderá deter a prepotência do Estado.
Carlos Batata

Sem comentários:

Enviar um comentário